Defesa de José Dirceu chama procuradoria de “cega” em documento a ministros do STF

Débora Zampier
Agência Brasil

Brasília – A defesa do ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu encaminhou hoje (4) novo memorial aos ministros do Supremo Tribunal Federal (DTF) sobre a Ação Penal 470, conhecida como processo do mensalão. No documento, os advogados fazem duras críticas à atuação da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apresentou denúncia sobre o esquema ao Tribunal.

O documento é uma resposta ao memorial encaminhado pela PGR quando o processo já estava em julgamento. Os advogados José Luís Oliveira Lima e Rodrigo Dall’Acqua criticam a tentativa de desqualificar as provas favoráveis a Dirceu, dizendo que a PGR “se faz de cega e prefere não enfrentar os inúmeros testemunhos diretos” que depõem em defesa de seu cliente.

Os advogados ainda dizem que o encaminhamento de memorial póstumo pela PGR, prática pouco comum quando o processo já está em plenário, revelam “uma verdadeira obsessão da acusação em ofender o devido processo legal e o princípio do contraditório” e também que o Ministério Público “não confia na consistência de seus próprios argumentos”.

Comunicado sobre o teor do memorial, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ironizou os comentários destacando que sua “visão é excelente, pelo menos com óculos”. Para o procurador, “não houve qualquer tipo de cegueira” e o Ministério Público analisou com consistência as prova colhidas no processo.

Notícias Relacionadas