Dia de cão no ferryboat da TWB: só dois navios em tráfego e seis sucateados.

CAOS NA TWB - De oitos navios da frota, somente dois estão em tráfego e atendendo precariamente. O caos está instalado na TWB e o governo, sempre devagar, parece pagar para ver um acidente acontecer. (Foto: Arquivo/Jornal da Mídia)
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA

Salvador – Usuários do sistema ferryboat enfrentam uma verdadeira manhã de cão nesta segunda-feira (3). Com apenas dois navios em operação – nada menos que seis estão quebrados e jogados nos terminais -, quem se arrisca a voltar da Ilha de Itaparica utilizando o sistema explorado pela TWB vai ter que esperar muito – entre quatro e cinco horas.

Desde o último sábado o ferryboat opera com somente duas embarcações. Nem a Agerba, órgão fiscalizado, nem a TWB, concessionária do serviço, divulga absolutamente nada para pelo menos alertar o usuário e até pedir para que a população evite utilizar o sistema.

“As pessoas chegam, entram na fila e não são avisadas de absolutamente nada. Resultado, ficam lá sofrendo. Um absurdo e uma falta de respeito total”, reclamou Maria Oliveira Dias, em telefone hoje ao JORNAL DA MÍDIA. “Eu cheguei 4h40 desta manhã na fila, em Bom Despacho e não sei a hora que vou chegar em Salvador. Meus compromissos estão perdidos”.

Outro usuário, José Castro Dia, confessou que no sábado embarcou no ferry “Rio Paraguaçu” às 19h. Com menos de 10 minutos de viagem percebeu que o navio estava lento demais. Pouco tempo depois o comandante anunciou no sistema de som:

“Atenção senhores usuários. Tenham paciência que a embarcação vai demorar na viagem porque um dos motores está com problema”, contou Castro, para completar.

“A viagem foi feita em 1 hora e 25 minutos”, observou Castro. Calculem aí: com dois navios em tráfego e cada um levando mais de uma hora para atravessar. Vejam agora quanto tempo se perde na fila. Isso na verdade é uma esculhambação. E o governo não consegue explicar. E como é que a Capitania dos Portos permitiu o navio transportar pessoas com um motor quebrado? Não estou entendendo nada”.

A Agerba e o governo deveriam se preocupar mais com o quadro. Os usuários estão cada vez mais revoltados com a situação caótica do ferryboat. Um protesto com consequências mais graves pode ocorrer a qualquer momento nos terminais. E a responsabilidade será toda do governo.

Notícias Relacionadas