Ajudantes de ordem já não suportam estilo Dilma

CLÁUDIO HUMBERTO

Jovens oficiais das três armas declinam de convites para integrar a Ajudância de Ordens da presidenta Dilma. Exercer essa função é uma honraria ambicionada, até porque conta pontos preciosos na carreira e pode abrir portas a promoções. Mas não é fácil suportar o jeito estúpido de ser da presidenta. Em junho de 2011, E.H., capitã de fragata, oficial brilhante, cansou dos esculachos, jogou tudo para o alto, literalmente, e ameaçou se demitir da Marinha, caso não a retirassem da Ajudância.

Ninguém quer – A oficial E.H. conseguiu se livrar das humilhações, mas a Marinha não encontrou substituto. A vaga foi confiada a oficial do Exército.

A nata da nata – Ajudantes de ordem de presidentes são jovens militares escolhidos a dedo, primeiros de turma, disciplinados e admirados em sua Força.

Eu, não, violão – Outros ajudantes-de-ordem já pediram para sair, mas os comandos militares têm dificuldade de encontrar. (Coluna de Cláudio Humberto)

Notícias Relacionadas