Perillo defende que depoimentos à CPI sustentam sua versão

O governador Marconi Perillo afirmou, por meio de nota divulgada nesta terça-feira, que os depoimentos dados à CPI do Cachoeira corroboram com as afirmações por ele dadas sobre a venda de sua casa, primeiramente vendida ao ex-vereador Wladimir Garcez, que por sua vez, disse à comissão ter comprado o imóvel por R$ 1,4 milhão com três cheques emprestados ao ex-diretor da Delta Centro-Oeste, Cláudio Abreu, e a Carlinhos Cachoeira.

Na sessão de hoje, o empresário e professor Walter Paulo Santiago contradisse Perillo ao sustentar que comprou tal mansão em dinheiro vivo em notas de R$ 50 e de R$ 100, e que o valor foi entregue a Wladimir Garcez e ao senhor Lúcio Gouthier Fiúza.

“Os depoimentos, até agora feitos à CPMI, não colocam fato novo ou contradizem as afirmações do governador”, defende a assessoria do governo.

De acordo com o texto, os depoimentos do ex-vereador Wladimir Garcez, que intermediou a venda da casa do governador, e do dono da Faculdade Padrão, Walter Paulo Santiago, que comprou a casa, estão em linha com as declarações de Perillo.

Segundo a nota, Garcez procurou Lúcio Fiúza Gouthier, assessor especial de Perillo, e manifestou interesse em adquirir o imóvel. “Conforme o depoimento de Wladimir, este, sem conseguir honrar o pagamento e ao ser cobrado pelo sr. Lúcio, entrou em contato com sr. Cláudio Abreu (ex-diretor da Construtora Delta no Centro-Oeste), solicitando que emprestasse os recursos para que pudesse honrar o pagamento da casa.

O sr. Cláudio lhe emprestou três cheques – dois no valor de R$ 500 mil e um no valor de R$ 400 mil”, afirma a nota enviada pela assessoria do governo. (O Globo)

Notícias Relacionadas