Capa » Blogs » Blog do JM » Sigilo bancário de Cachoeira e da Delta é quebrado pela justiça

Sigilo bancário de Cachoeira e da Delta é quebrado pela justiça

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal quebrou os sigilos bancário e fiscal do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, da Delta Construções e de mais sete pessoas denunciadas na Operação Saint-Michel. A informação foi publicada na edição deste sábado do jornal “Correio Braziliense”.

Na quarta-feira, todos já haviam sido denunciados pelo Ministério Público do DF por formação de quadrilha e tráfico de influência por tentarem obter um contrato de bilhetagem eletrônica do transporte coletivo no governo local. A descoberta do esquema em Brasília ocorreu nas gravações telefônicas da Operação Monte Carlo, feita pela Polícia Federal e que levou Cachoeira à prisão no dia 29 de fevereiro.

Diante das revelações da Monte Carlo, a promotoria do DF e a Polícia Civil iniciaram as investigações, que levaram à prisão de Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta Construções no Centro-Oeste. Apesar de aparecer nas gravações com Carlinhos Cachoeira, ele não havia sido preso na Monte Carlo, assim como os sigilos bancário e fiscal da Delta também não tinham sido quebrados –somente de Cachoeira e seu grupo.

Além de quebrar os sigilos dos envolvidos, a Justiça do DF, segundo o jornal, bloqueou os bens dos envolvidos.(Folha.com)

5 Respostas para Sigilo bancário de Cachoeira e da Delta é quebrado pela justiça

  1. gilda helena carvalho vasquez 12/05/2012 em 20:03
    Olá pessoal

    É muito gratificante saber que estão tomando as devidas providências, mais devo ressaltar para não esquecer do Cavendshi e do Governador Sérgio Cabral e seu Secretariado, Ele Sergio Cabral sempre com um sorriso na boca será que está rindo de todos nós inclusive do Congresso e seus parlamentares,
    talvez ele ache que justiça não foi feita para ele, pois tem lá os seus padrimhos protetores como o vice-presidente da República achei vergonhoso a posição do Vice-Presidente Michel Temer, já diz o sobrenome não deve temer na querido Sergio Cabral.
    Quero muito acreditar no Supremo Tribunal de justiça no Ministério Público Federal,no Senado Federal, na Polícia Federal, no Cogresso Nacioal em todos que tem o dever de defender sua Nação e seu povo de pessoas medíocres como as supra citadas
    Estarei acompanhado

    Responder
  2. Samir Freitas 12/05/2012 em 20:40
    A corrupção é o câncer desta nação, e como tal deve ser extirpado junto com todos os que o promovem! Não podemos mais nos acomodar diante de fatos que afligem nosso progresso, devemos nos rebelar contra este sistema imundo! Juntos somos fortes! E mais fortes seremos como nação se todo imposto pago for investido em educação, saúde e segurança! Mais do que nunca é preciso que nós brasileiros que amamos essa terra aprendamos odiar corruptos, pois são eles que com toda covardia e traição expõe o futuro do Brasil a desgraça! É preciso ensinar nas escolas o valor da honestidade, pra que um dia não precisemos chegar nesse ponto: (http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL66914-5602,00.html).
    Responder
  3. JOSÉ 12/05/2012 em 21:26
    LAMAMENTO PROFUNDAMENTE, ESSE VAI E VEM, DA CACHOREIRA, E NADA É DEFINIDO! ISSO VAIS SER UMA PITSA, TENHO PENA DESSE POBRE (RICO) BRASIL,DE TANTOS HOMENS QUE NÃO QUEREM RESOLVER URGENTE OS PROBLEMAS DESSES LARAPIOS! POR FAVOR! DESENROLEM LOGO ISSO, E BOTEM NA CADEIA, OS CULPADOS…………………..
    Responder
  4. Eduardo da Cunha Ramos 12/05/2012 em 21:41
    VACA REZZA?

    TODOS, TODOS MESMOS SABERÃO, ANTECIPADAMENTE, O RESULTADO!…

    O BORIS SE EXPRESSARÁ DE FORMA RETUNDENTE.

    Responder
  5. rubens aparecido gonçalves 12/05/2012 em 21:45
    o cara já está prezo e agora que queremfiscalizar o cara querem usalo de pode espiatorio e livrar os politicos corruptos
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− 2 = cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>