APLB vai tentar derrubar liminar que decretou greve dos professores ilegal

Redação do Jornal da Mídia

Rui Oliveira diz não haver entendimento e que a greve vai continuar
Salvador – O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) vai entrar com recurso junto ao Tribunal de Justiça para tentar derrubar a liminar que declarou a ilegalidade da greve dos professores da rede estadual de ensino, que entrou hoje no seu 1uinto dia.

O coordenador-geral da APLB, Rui Oliveira, informou que mesmo com o risco de multa diária de R$ 50 mil a greve está mantida e confirmou a realização de um ato de protesto nesta quarta-feira (19), a partir das 9h, em frente à sede do Governo da Bahia, a Governadoria, no Centro Administrativo.

Os professores querem o cumprimento do acordo de reajuste de 22,22% no piso nacional por parte do governo do Estado. A greve deixou um milhão de estudantes sem aulas em todo o Estado.

”Não tem entendimento com o governo. O setor jurídico da APLB recebeu ordem para entrar com recurso e vai construir a argumentação”, explicou Rui. A decretação da greve como ilegal é do juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, Ricardo D’ Ávila.

Notícias Relacionadas